segunda-feira, 24 de maio de 2010

Primeira Página

by Norman Rockwell



Hoje conheci a redação do The New York Times.


Fui recebida por uma jornalista brasileira a quem importunei por quase 2 meses – mas isso por que ela disse ser uma virtude, a minha perseverança -. Visivelmente cansada pela montanha de ocupaçoes que a função de repórter da editoria de cidade (“Metro”) requer, e com um pouco de pressa, provavelmente devido ao mesmo motivo, ela me levou direto ao que chama de “coração do TNYT”, o andar onde as principais editorias se reúnem para discutir pautas e fechar matérias.
- aquele ali, com um chapéu e roupa diferente, é meu editor, ele é uma espécie de “acquired taste” – quando a pessoa é estranha, mas você vê que consegue gostar depois que conhece melhor.
Rápido uma senhora elegante, looks like chanel, passa pela gente e Fernanda me diz: - essa é a segunda editora-chefe, a segunda mais poderosa, digamos assim...
Logo depois passamos por uma mesa com cerca de 6 “tanques” inoxs rsrs - Ana, você quer um cafezinho? – Claro! Respondi – e imagino que meus olhos brilharam, mais do que quando vi a segunda mais poderosa do impresso. Um “troço” desses na TV onde eu trabalhava – falo dos containers inoxs cheios de café - iamos pensar que era o céu! Imagino que lá o café nunca acaba!
Cidade, Nacional, Internacional... Chegamos e estava acontecendo uma reunião na parte onde trabalha a editoria internacional. A maioria das editorias já encerrara suas reuniões e o proximo passo então seria apresentar as principais manchetes e resumos das notícias aos editores-chefes na acirrada disputa por quem ocupará a primeira página de amanhã. Isso me soou às reuniões do New York Daily Bugle... Nesse caso, conseguir a primeira página, só com a foto do Homem Aranha em ação! O problema é que o próprio fotojornalista (Peter Parker) era o homem da teia... Por que será que os super-heróis americanos mantem identidade secreta debaixo da profissão de jornalista? Melhor nem pensar, mas por falar em Peter Parker, todas as paredes da redação carregavam quadros de fotografias que ilustraram ediçoes passadas do Jornal. Procurei pelos cartoons na esperança de ver alguma coisa do Norman R. por lá, mas não vi.
Ao terminar a rápida visita, Fernanda mensionou alguma coisa como “decepção”... dizendo que talvez eu pudesse estar decepcionada ao conhecer a redação do TNYT e ver que não tem nada de mais... “só um monte de gente sentada em cadeiras em frente a computadores...” e pondero... Poderia dizer que é uma redação comum, bem parecida com as demais no Brasil, se não fosse o tamanho da estrutura (predio) e o alcance, não só em termos geográficos, mas principalmente pela influencia que esse jornal tem em todo o Mundo, sem esquecer que a América é o berço da indústria jornalística e um modelo de estrutura jornalística praticado ao redor do mundo durante todo o sec. XX – editorias, gates keepers, agenda settings e J.J. Jamesons originaram-se aqui e isso tudo se tornou visível pra mim na tarde de hoje. Confesso que a sensação que tive foi a mesma de quando entrei no MASP em São Paulo pela primeira vez e vi, ao vivo e a cores, as pinturas de Tarcila do Amaral, o auto-retrato de Anita Malfati e as inacreditáveis obras de Portinari, cujos quadros são na realidade bem maiores do que os que eu havia pendurado nas paredes da minha imaginação.


Em tempo,
Fernanda Santos é uma brasileira, baiana, que trabalha lá há 5 anos como jornalista do Metro – área que cobre toda NY e NJ. Além de super legal, super paciente, é super inteligente. poderia perfeitamente inspirar os quadrinistas da Marvel com um personagem digno de primeira pagina :)

14 comentários:

Marluci disse...

Uauuuuu...estou feliz por ti amiga! Sabe o que penso né! Ainda vou ler um dia uma notícia da minha jornalista preferida direto do NYT uhuhuhuhu. Mas tudo o que vc escreveu fiquei imaginando como é esse lugar e auhauhauhauh só me veio em mente o planeta Diário....vai nessa amiga eu acredito em ti.

Ana Luz disse...

kkk pode viajar na maionese q aqui qse tudo eh permitido rsrs

Ana Paula disse...

Adoro qdo vc escreve! E porque nao pensar nessa possibilidade!!! Sonhe grande!! Licao do sabado passado ja esqueceu???? Bju Ana!!

Ana disse...

Quando eu sonhava em fazer jornalismo, me imaginava como uma "agente da Cia do bem", que descobriria falcatruas, daria voz aos que têm pouca, e que no fim, estaria cumprindo algum tipo de missão, que no fundo tem muito a ver com o jornalismo dos EUA, e muito pouco a ver com o do Brasil.

Me vi, hoje, em você, conhecendo o TNYT! Me sinto orgulhosa de você!

O jornalismo ter deveria maior liberdade, e não ser dirigido por nada que não fosse a denúncia, ou à propagação de descobertas sadias.

Então é aí que lembro que sonhei coisas certas, e que os sonhos só foram errados, pela impossibilidade de existirem.

Imagina o Brasil (o mundo, vai, que já que é utopia...) com um jornalismo totalmente Open Source, basicamente alternativo, com uma política de idoneidade total?

Sonhos sonhos são...

Ana disse...

Mas acho que até o NYTimes deve estar sendo gerido por uma imeeeeensa política de interesses.

Pra onde migrou a voz dos alardes?
Para a literatura, que será sempre tida como - PERIGO - ficção.

Anônimo disse...

Ótimo post Ana Luz! E ótima provocação "por que os super-heróis americanos mantêm identidade secreta debaixo da profissão de jornalista?". Glorificação ou sátira? O leitor escolhe...

Ana Luz disse...

kkk Romy, diria que.. um fato! rs
Na hora q escrevi, a idéia nao me surgiu como "glorificação" ou "satira"... Só uma constatação... mas pensando bem (agora rsrs) acho que eh esse poder que a imprensa desenvolveu de estar em todo lugar e "ver" tudo... lembra até o dispositivo panóptico descrito por Foucault em 'Vigiar e Punir' rsrs aí dá pano pra manga neh? rs Beijo amiga. Saudades.

Ana Luz disse...

Ana, que visão privilegiada! Quem dera se todos os jornalistas tivessem essa sua... Não acredito em "impossibilidade". Chamam a "impossibilidade" de utopia, eu chamo de fé! E o apostolo Paulo já nos alertava: "nao vos conformeis com esse mundo, mas transformai-o pelo renovação da mente". Toda verdadeira revolução surgiu através "palavra".. e nao cito aqui a verdade com aquele means maniqueísta, mas como aquilo que sai da integridade do autor revestido de um compromisso de amor (parece piegas, mas nao encontro outra palavra) com um coletivo. A imprensa brasileira como indústria é extremamente corrupta quando os donos ditam por telefone, sem confrontamento algum, o que deve sair na primeira página, quando o repórter medíocre reproduz formulas mais do que desgastadas para dizer mentiras como se fossem verdades e verdades como se fossem mentiras... numa pobreza literária inexplicavel. Superar a forma (o sistema) como o apóstolo desafia nao é missão muito fácil, mas nao acho que seja impossível se partir do indivíduo, do jornalista que encontra novos meios e faz com que suas ideias transbordem os limites da diagramação! (mesmo da diagramação do jornal corrupto).

Se o jornalismo aqui é diferente? Não posso dizer... Acredito que é um pouco diferente sim, pq tem que lidar com uma sociedade mto mais exclarecida em uma emaranhado democrático bem mais complexo.

Ana, obrigada por estar comigo nessa jornada.. pq qdo vc me lê vc compartilha das minhas alegrias. Tb amo ler vc e torço para que sua "ficção" chegue ao alvo para quem ela se destina!

Vc me pergunta onde está a voz dos alardes? Vc sabe mais do que eu... Ela precisa estar dentro de nós! E como eu acredito nisso!

Beijos cheios de gratidão.

Ana Luz disse...

Ana Paula, minha insentivadora de plantão. Obrigada!! Como disse antes, realmente a impossibilidade nao existe! E completo.. acreditar é um desafio diário kkkk
Sem dúvida essa é uma experiencia irrecusável na carreira de qualquer jornalista, mas trabalhar no TNYT talvez não seja o alvo que persigo... Vc sabe :).. Mas será que eles me mandariam pro Afeganistão? Taí!! rsrsrs

Rose Marinho Prado disse...

super

Carol disse...

Claudinha, parabéns pelo Blog e pelo texto sobre o TNYT.
Como havia lhe dito, é inspirador passar por aqui.

Rose Marinho Prado disse...

Não vai responder, Claudinha? MInha msg é curta , mas direta. Super.

Beijos

Ana Luz disse...

Roseee!! Vc é super!!

(para mensagens curtas e diretas, respostas curtas e diretas kkkk)

Rose Marinho Prado disse...

Bom e aconchegante o blogo. Mas veja se atualiza, assim não dá.;