quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Eat, Pray, Love and Dream

Ilustra: by Norman Rockwell

- A partir de que momento, de acordo com a escritora, o ser humano vai se tornando em triste e solitário? - Pergunta o jornalista da TV Cultura numa entrevista à Clarisse Lispector. Clarisse silencia por largos segundos e diz: ...isso é segredo... Desculpa, eu não vou responder. A qualquer momento da vida... Basta um choque inesperado e isso acontece... Mas eu não sou solitária não, tenho muitos amigos...e só estou triste hoje, porque estou cansada. No geral, eu sou alegre". é quando ela fixa o olhar para baixo e se encerra em silêncio.

Com o inquietante silencio de Clarice na memoria (por culpa da Ana Peluso que postou a entrevista ontem), Elizabeth Gilbert de volta com sua Itália, Índia e Bali, e ainda ouvindo a missa cubana de volta pra casa, precisava tentar escrever. Isso tinha que me fazer escrever de novo!

“É melhor ser alegre do que triste, mas pra fazer um samba com beleza é preciso um bocado de tristeza senão não se faz um samba não...” já disse o Vinícios no seu "samba da bênção", que por sinal salvou a cena de Liz com o ator espanhol , que jamais convencerá como brasileiro. Aliás, nem a Julia Robert ainda me conseguiu convencer como Liz, mas o que quero dizer é que tudo isso me traz de volta ao ponto de partida, digo, da minha partida. À decisão que tomei de sair da minha cidade, do País, sozinha, sem muita grana e sem nenhum “plano” para além de aprender a língua anglossaxã (pareço um germano falando rs).
O fato é que exatamente no dia primeiro de Setembro faz um ano que cheguei aqui e posso dizer que, além de tudo o que escrevi anteriormente aqui nesse paciente blog (muito pouco, eu sei), passei por muitos momentos punks. Momentos de perder todas as esperanças e chorar sozinha, ou pensando que estava sozinha. Mas sei que nunca estamos sós. Ele sempre está perto com a sua voz que de tão silenciosa é inconfundível, agindo em detalhes desde o inverno ao verão como seu Sol que brilhantemente me ilumina e me traz dias como o de hoje em que volto a acreditar no “super-natural” (a designação inglesa para o sobrenatural), passo a acreditar que realmente tudo é possível para aquele que crê, “ basta comprar o bilhete”! – quem leu o livro sabe do que estou falando.

Ontem encontrei com minha ex-professora de música na net. Ela é cubana mas vive em Belém há mais de 10 anos. Passamos mais de 1h pela madrugada trocando idéias sobre as mudanças que gostaríamos de ver na nossa cidade, Belém, “a eufrata, que de todas a menor”, a exemplo da de Judá. Pode ainda vir alguma esperança de lá? E no meio da conversa, encontramos nossos sonhos de acreditar na beleza da música, da arte, da fé das pessoas e de achar que tudo isso é divino. Entendi que o que desejo é transformar cada centímetro, dentro e fora de mim, em divino. Sei que, na prática, nada disso é romântico assim, mas agora posso entender quando o profeta, imerso por desgraça e condenação, consegue ver toda a Terra cheia da glória de Deus. Quero ter essa visão de novo e viver por ela. Na Índia, no Afeganistão, na Polônia, em todo o lugar... Quero ver a esperança viva em cada ser humano e de novo exerga-lo a perfeita imagem e semelhança de um Deus de plena Paz e perdão.

5 comentários:

Rose Marinho Prado disse...

Não fale sobre Clarice,ela é minha. Não tem direito.
Está no quintal, sozinha. É tão peralta que não a deixo entrar em casa. huhu!

Parabéns pela estada na terra da liberdade. E é. A começar p Susan Sontag e tantos outros...
E vida ao jazz.
Beijos

Ana Luz disse...

kkk Rose, que saudade docê teacher! "terra da liberdade" é forte kkkk, a liberdade mais controlada de toda a Terra!

A Clarice, é sua. Verdade! Manda beijos pra ela! e pro Yuri tb!
E vida a Bossa.
Beijos!

mulher de sardas disse...

Oi, Ana! Gostaria de te enviar o convite para os 25 anos da Oficina de Criação Literária da PUCRS. Podes me enviar teu email?
O meu é cami.doval@gmail.com
Obrigada

Ana Luz disse...

legal! :)

Thanx!

Sylmara Luz disse...

Ual, Dinha! Amei teu post! Muito mais bonito do que toda a coerência codificada é o conteúdo, a mensagem, a luz, a fé.
Um dia chego perto! rs
Bju e saudades!