terça-feira, 22 de setembro de 2009

Só sei que foi assim...

ilustra: Normam Rockwell

PARTE IV

Agora sim, a escola (Spanish-American Institute).
Não me pergunte o quanto, mas é mais barato estudar aqui do que no Brasil.
Tenho aula de segunda a sexta-feira, quatro horas por dia ( 9:15am a 1:15pm). A minha turma tem 20 alunos vindos de várias partes do Mundo: Japão, Uzbequistão, Turquia, China, Coréia do Sul, Rússia, Itália, Tailândia, Angola, Burquina Faso, Israel, Colômbia, Porto Rico, Equador.. e por aí vai! O inglês tosco de todos nós em sotaques inimagináveis (e ainda disseram pra eu ter cuidado com o sotaque novayorquino!). A professora do primeiro horário é do Mali (quem nasce no Mali é o que? ). Ana Margareta é o nome dela, não sei se o artístico – como ela diz, “somos a máfia das Anas!” – somos 5 Anas ao todo! Ana russa, Ana judia, Ana Brasileira, Ana de tudo que é jeito, cor e cabelo. Ana Margareta é metida a atriz, representa os diálogos do livro e cobra 10U$ por cada chiclete confiscado, ela odeia ver alguém mastigando na sala, mas não para de comer uns quitutes que traz num saco de papel. Fazer o quê? Ela é a teacher.
Estou só na minha segunda semana de aula, mas além das Anas, já consegui memorizar outros nomes: Chica (isso mesmo! O feminino de Chico), é a japonesa que é cantora de hip-hop e veio de Tókio para conhecer de perto a cultura hip-hop americana. Lee é a chinesa que odeia sentar ao lado da japonesa (intrigas históricas) mas é fã da coreana, que se chama Won Sung (pronincia-se como “one Song”), com quem me dou bem e procuro sentar perto – ela e Adama (o rapaz de Burquina Faso) me ajudam bastante a destravar a língua. Mônica é a italiana, chiquérrima - não penteia o cabelo, não passa a roupa - mas permanece chique (inesplicávelmente). Tem também o russo, que não lembro o nome, mas que vale citar: parece que este ficou preso em algum abrigo anti-bomba nos últimos 30 anos e nunca ouviu absolutamente nada em inglês. Como será que chamam “shoping center” na Rússia?? Ele não sabe absolutamente nada da língua inglesa. Hoje disse um milagroso “bye”. Mas também não posso falar nada, até por que no Brasil não existe abrigo anti-bomba... não que eu saiba.

E agora estou com sono e amanhã (não sei quando) continuo......zzzzzzzzz

11 comentários:

romysato disse...

Amigaaaa!! Divertidíssimos esse posts contando a história da tua saída e chegada! É mais barato estudar aí porque "é um barato!" ou é econômico mesmo? rsrs

ô saudade...

Aline Miranda disse...

Eu tenho aquele interesse meigo pelos russos desde que li a autobiografia recortada de uma jornalista carioca que se mudou pra saudosa União Soviética e lá foi feliz tragicomicamente...foi um livro que me chegou às mãos quando eu morava em Curitiba, achado no lixo por meu amigo e co-residente sociólogo, adepto das reciclagens.
Agora esqueci o título do livro (não adiantou googlar, feito uma velha se divorciando da própria memória), mas relembrei a sensação de viver feito feito hippie pós-moderna e graduada noutra cidade, com dinheiro só pra fast-food e muita disposição pros nativos.
Bem se vê como acho, mesmo e profundamente, que nada melhor do que um livro alheio pra demarcar nossas vivências...por isso te dei aquele.

Ana Luz disse...

Romy.. estando aqui é mais econômico sim. e tb o maior barato! rs Saudadona!

Aline! Vc não sabe quantas biografias já li desse povo da velha URSS... Sem dúvida as histórias desses lugares (e dos que passam por eles) sempre são intensas e interessantíssimas. AMO. e to começando a virar fã da tua biblioteca. Já te disse que adorei o livro (ainda não terminei!). e, de certa forma lê-lo me fez ter coragem de escrever essas coisas aqui. Sabe aquela música que diz que toda Mulher é meio Leila Diniz? Elizabeth Gilbert impregna! rs. Beijos mil!

Rose disse...

kkk

Jonatan disse...

Texto muito engraçado!!!me diverti muito claudinha!!hsuahsuah
Torço por você!!!
E lembre-se: só podemos contemplar a face de Deus quando nos tornamos pó...
abss
pazzz

Adelina disse...

A Claudinha e inexplicavelmente singular srsrrsrs adorei o texto!!

Ana Luz disse...

Obrigada Jojô!

Adelina! i love you mana! rsrs

Ana Paula disse...

To amando ler seu blog, parece que to olhando o reflexo da minha historia no espelho,... alias eu sou uma das Anas, estudamos na mesma escola, mesmos classmattes e agora mesmo "job" ..... vejo vc amanha.

Ana Luz disse...

Ana Paula! graças a Deus por tua vida! Vamos que vamos!

sblanco disse...

Cláudia, dei altas gargalhadas na hora do Russo, realmente apesar dele tú és uma piada.
Ainda estou lendo os demais, assim, aos poucos coloco meus comentários.
Abração!!!

Ana Luz disse...

Bem-vinda Soninha! Volte sempreee! Beijos!